Mato Grosso do SulSaúdeÚltimas notícias

Pesquisa em MS utiliza Inteligência Artificial para acelerar diagnóstico de Câncer de Mama

Uma pesquisa inovadora apoiada pela Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect) e realizada pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) promete revolucionar o diagnóstico do câncer de mama. O estudo resultou na criação do “Breast Cancer IA Application”, um software de Inteligência Artificial capaz de identificar biomarcadores, acelerando a identificação precoce dessa doença devastadora.

O “Breast Cancer IA Application” já conquistou seu registro no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) e tem o potencial de transformar a forma como identificamos o câncer de mama. Segundo o pesquisador e coordenador do projeto, Cristiano Marcelo Espinola Carvalho, esse software é capaz de identificar padrões genéticos que caracterizam o câncer de mama e determinar em que estágio a doença se encontra.

O grande avanço desse método é sua capacidade de oferecer diagnósticos mais precisos em comparação com os exames tradicionais, permitindo a detecção do câncer de mama em estágios iniciais, mesmo antes do surgimento de sinais e sintomas.

Os biomarcadores moleculares identificados no estudo desempenham um papel crucial ao possibilitar o diagnóstico da doença nos estágios 1 e 2, quando as abordagens de diagnóstico tradicionais frequentemente falham em detectá-la.

A importância dessa pesquisa é notável, pois a detecção precoce do câncer de mama tem o potencial de reduzir significativamente a mortalidade relacionada a essa doença. O pesquisador ressalta que o câncer de mama em seu estágio inicial, no local de origem, raramente leva ao óbito, mas são as formações metastáticas que representam a maior ameaça à vida das pacientes.

O estudo foi conduzido em duas frentes na UCDB: análises computacionais (in silico) e experimentos laboratoriais (in vitro). O financiamento para a pesquisa foi fornecido pela Fundect por meio da chamada PPSUS. O processamento de dados e a criação do software foram realizados utilizando linguagens de programação Python e “R” nos laboratórios de informática da UCDB. Informações de bancos de dados globais, como o The Cancer Genome Atlas (TCGA), foram cruciais na identificação de biomarcadores de câncer de mama.

As análises in vitro envolveram a coleta de amostras em hospitais como a Santa Casa de Campo Grande e o Hospital da Cassems. O processamento, armazenamento e análises ocorreram nos laboratórios de Análises Clínicas e de Biologia Molecular do Programa de Biotecnologia da UCDB, graças ao apoio financeiro da Fundect.

Uma das propostas adicionais desse trabalho é a criação de um banco de amostras que permitirá validar os resultados computacionais e melhorar a precisão do software com base em dados genéticos da população sul-mato-grossense.

O pesquisador destaca que essa pesquisa surgiu da necessidade de biomarcadores para o câncer de mama, visto que o diagnóstico tardio está diretamente ligado à mortalidade por essa doença. O uso de ferramentas computacionais na medicina diagnóstica de precisão mostra-se promissor, uma vez que permite obter respostas de forma eficiente e com custos mais baixos em comparação com as pesquisas tradicionais in vitro.

O sucesso dessa pesquisa foi possível graças à colaboração de estudantes bolsistas de Iniciação Científica, mestrandos e doutorandos, que estiveram envolvidos em diferentes etapas do projeto. Além disso, vários docentes dos cursos envolvidos, como os professores Marcos Alves e Michel Ângelo Constantino de Oliveira, ofereceram apoio crucial ao longo do processo.

Durante a execução do projeto, o software foi registrado, e várias dissertações de mestrado, trabalhos de conclusão de curso (TCC) e pesquisas de Iniciação Científica foram produzidos e apresentados em eventos científicos, tanto no Brasil quanto no exterior. Essa pesquisa é um exemplo brilhante de como a inteligência artificial e a pesquisa científica podem se unir para melhorar a vida das pessoas.

Pablo Nogueira

Jornalista, fotógrafo, editor chefe do portal InterativoMS e apaixonado por inovação e política.

Deixe uma resposta