Invasão em distribuidora de bebidas teve uma hora e meia de negociações em Paranaíba

Invasão em distribuidora de bebidas teve uma hora e meia de negociações em Paranaíba

Na tarde dessa segunda-feira (30), policiais militares do 13º Batalhão realizaram, após uma hora e meia de intervenção policial, a prisão de uma mulher de 49 anos que transtornada invadiu o escritório de uma empresa, destruiu objetos e com uma faca procurava o empresário. A ação técnica dos policiais militares garantiu a solução mais aceitável a situação, preservando a integridade das vítimas, dos policiais e a da própria autora.

A Central de Atendimento da Polícia Militar, por volta das 14h40, recebeu a informação de que uma mulher ameaçava com uma faca o dono do estabelecimento comercial localizado na

Avenida Marcelo Miranda Soares. De imediato, as equipes de Força Tática e de Radiopatrulha foram ao local e encontraram a mulher em estado de grande transtorno, ela portava uma faca em mãos e uma bolsa contendo bombas de festa junina.

A situação demandou cautela dos policiais, uma vez que a autora poderia estar portando outras armas consigo, assim, eles realizaram uma entrada tática ao local com um escudo balístico e a encontraram ela já sozinha na sala da secretária que antecede a sala do empresário, onde ela já havia destruído acessórios, móveis e vidros do escritório.

A todo instante a mulher ameaçava de morte os policiais que adentraram ao recinto e dizia que não confiava em ninguém, alegando que empresário havia comprado a todos.

Durante a intervenção policial, a cidadã se mostrava muito nervosa, sem definir o porquê de seu descontrole e exigindo a presença do empresário. Por cerca de uma hora e meia os policiais utilizaram de técnicas para acalmar a cidadã e evitar meios mais danosos, para solução da desordem, e com muito diálogo convenceram ela a jogar a faca ao chão. A situação aparentava estar chegando ao seu fim, no entanto, ao ser solicitado que uma policial feminina revistasse a autora, para se verificar a existência de mais algum tipo de arma, ela se recusou e bruscamente levou a mão na região de trás da cintura. Nesse instante, devido a suspeição dela portar alguma outra arma, os policiais tiveram que agir com precisão e com o uso da força moderada.

Fonte: Polícia Militar

Da redacao

Da redacao

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: