Vigias e vereadores cobram pagamento parte do salário atrasado pela Prefeitura de Paranaíba

Vigias e vereadores cobram pagamento parte do salário atrasado pela Prefeitura de Paranaíba

Os vigias lotados nas pastas de saúde e educação estiveram reunidos com o secretário de governo Deoclésio Pereira de Souza (Juninho do Késio) e com a chefe de gabinete Jane Paula, para buscar uma solução para os valores de parte do salário dos servidores, que está em atraso.  Participaram da reunião os vereadores Robson Resende (PSDB) e Sargento Benides (PSL).

Segundo os representantes do município o executivo municipal cortou o salário dos trabalhadores para fazer uma analise dos vencimentos de cada servidor e buscar possíveis discrepâncias.

Porém os trabalhadores e vereadores argumentaram que a municipalidade deveria ter avisado aos servidores quanto ao não pagamento dos proventos no mês de janeiro, já que não teria trabalhado do não pagamento e os profissionais não teriam trabalhado aos fins de semana e hora excedente feitas durante segunda a sexta, já que não iriam receber.  

Vigias e vereadores cobraram ainda sobre o corte do adicional noturno que é direito adquirido junto a constituição e que foi retirado do valor pago aos trabalhadores, além da adequação do pagamento de adicional de periculosidade que é paga para alguns profissionais e não para outros.

Após uma rodada de conversa ficou definido que os trabalhadores voltarão a trabalhar com jornada extra para não deixar os órgãos municipais sem cuidados, e o pagamento dos valores atrasados foi prometido para até o final do mês de fevereiro, além da promessa de regulamentação do adicional por periculosidade dos trabalhadores.

Além da reunião no gabinete com os vigias, houve uma reunião com os trabalhadores da secretaria de obras na sede da pasta, em conjunto com representantes do sindicado dos trabalhadores do município.  Profissionais de outras áreas da Prefeitura de Paranaíba também foram afetados por não pagamento de horas-extras e retirada de direitos trabalhistas garantidos em lei. Sindicato dos trabalhadores do municipío marcou reunião para o fim da tarde desta segunda-feira (01).

O caso

Os vigias das pastas de saúde e educação da Prefeitura de Paranaíba podem parar de trabalhar aos fins de semana por falta de pagamento das horas-extras trabalhadas no último mês, e corte do adicional noturno, que é direito trabalhista, os trabalhadores reivindicam ainda o pagamento de adicional por periculosidade.

O pagamento recebido nesta sexta-feira (29), assustou os trabalhadores, que tiveram os vencimentos bem menores que o valor que deveriam receber. Foram cortados o adicional noturno, direito de todo trabalhado que opera no período da noite. E não foram pagas as horas-extra trabalhadas. Em um grupo de conversa os trabalhadores decidiram não trabalhar mais aos fins de semana até que a situação seja resolvida pelo executivo municipal.

Os trabalhadores não foram avisados dos cortes, e foram surpreendidos quando receberam seus vencimentos. Um dos vigias da saúde salientou ainda que o horário trabalhado foi expandido em duas horas a mais por dia, com a promessa que receberiam pelo trabalho excedente, porém o que houve foi o corte total das horas-extras, já trabalhadas.

Trabalhadores da pasta de obras envolvidos na limpeza da cidade também relataram que tiveram horas-extras trabalhadas não pagas. Após a publicação da matéria alguns agentes de endêmias entraram em contato com o InterativoMS e afirmaram que tiveram seus salários reduzidos com o corte de benefícios previstos em lei, sem que houvesse nenhuma explicação.

Pablo Nogueira

Pablo Nogueira

Jornalista, fotógrafo, editor chefe do portal InterativoMS e apaixonado por inovação e política.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: