Medidas são flexibilizadas e atividades econômicas voltam a funcionar normalmente nesta segunda-feira

Medidas são flexibilizadas e atividades econômicas voltam a funcionar normalmente nesta segunda-feira

A partir desta segunda-feira (5) o comércio verejista e outras atividades econômicas voltam a funcionar normalmente em todo o Estado, desde que cumpram os protocolos de biossegurança.

O decreto estadual que só permitia funcionamento de atividades consideradas essenciais ficou em vigência do dia 26 de março a 4 de abril. Em Campo Grande, os estabelecimentos ficaram fechados por mais tempo, já que a prefeitura da Capital havia decretado um “fecha tudo”, além de antecipar feriados, na semana anterior às normativas impostas pelo governador Reinando Azambuja (PSDB).

O anúncio da flexibilização foi anunciada no dia 31 de março por Azambuja durante live da Secretaria Estadual de Saúde (SES). De acordo com ele, os horários dos toques de recolher em cada município deverá ser baseado nas bandeiras definidas pelo Programa Prosseguir.

Nas cidades de bandeiras verde, amarela e laranja o toque será das 22h até às 5 da manhã, já os municípios de bandeira vermelha com começo a partir das 21h. Na cinza, o toque de recolher permanece das 20h até às 5 da manhã.

Estão livres do período de restrição trabalhadores da saúde, transporte, aos serviços de fornecimento de alimentos e medicamentos por meio de delivery, às farmácias ou drogarias, às funerárias, postos de combustíveis, indústrias, restaurantes localizados em rodovias e hotéis.

Conforme o decreto, seguem proibidos eventos, reuniões e festividades em clubes, salões, centros esportivos e afins, com participação de mais de 50 pessoas. O comércio em geral pode reabrir as portas, mas com limitação de atendimento ao público de, no máximo, 50% da sua capacidade instalada com distanciamento de 1,5m e medidas de biossegurança.

Fica suspensa ainda a realização de cirurgias eletivas pelos hospitais da rede pública estadual e pela rede contratualizada e as cidades que têm sistema de transporte coletivo podem manter o serviço funcionando em até uma hora após o toque de recolher.

“Vamos seguir este novo Decreto que espero que perdure pelos próximos dias, para que não tenhamos que reeditar outro decreto mais restritivo, se tivermos a consciência de todos, que é o melhor remédio para evitarmos as mortes”, disse Azambuja.

Segundo o secretário de governo e gestão estratégica, Sérgio Murilo o novo decreto com as flexibilizações foi acordado em uma reunião com os prefeitos dos 79 municípios.

Programa Prosseguir
Para definir a bandeira de cada cidade são considerados fatores como a disponibilidade de leitos de UTI, quantidade de equipamentos de proteção individual, contato com casos confirmados, redução da mortalidade em relação a Covid-19, disponibilidade de testes, redução de novos casos, ocorrências da doença entre profissionais de saúde e incidência do vírus na população indígena, entre outros.

O último mapa do programa apresentado teve 19 municípios que progrediram na bandeira, 16 regrediram e 44 permaneceram na mesma classificação, em comparação com o mapa anterior.

Foi mostrado ainda a redução de quatro, para uma, o número de cidades classificadas na bandeira cinza. No novo mapa apenas Sidrolândia saiu do grau alto para o extremo, quando é recomendado apenas o funcionamento de atividades essenciais.

Subiu de 48 para 51 o número de municípios classificados na bandeira vermelha, quando o cenário ainda é considerado de alto risco.

Além de Campo Grande, Costa Rica, Bela Vista e Aral Moreira que saíram do cinza para o vermelho, estão nesta mesma situação Alcinópolis, Amambai, Anaurilândia, Antônio João, Aquidauana, Bodoquena, Bonito, Brasilândia, Caarapó, Camapuã, Caracol, Cassilândia, Chapadão do Sul, Corguinho, Coronel Sapucaia e Coxim.

Também estão na bandeira vermelha: Deodápolis, Dois Irmãos do Buriti, Douradina, Dourados, Fátima do Sul, Inocência, Itaquirai, Jutí, Ladário, Laguna Carapã, Maracaju, Miranda, Mundo Novo, Naviraí, Nova Alvorada do Sul, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul, Paraiso das Águas, Paranaíba, Pedro Gomes, Ponta Porã, Porto Murtinho, Ribas do Rio Pardo, Rio Negro, Rio Verde de Mato Grosso, Santa Rita do Pardo, São Gabriel do Oeste, Sonora, Tacuru, Terenos e Três Lagoas.

Foi de 24 para 25 o número de cidades na bandeira laranja que indica grau médio de risco.

Estão na lista: Água Clara, Anastácio, Angélica, Aparecida do Taboado, Bandeirantes, Bataguassu, Bataiporã, Corumbá, Eldorado, Figueirão, Glória de Dourados, Guia Lopes da Laguna, Iguatemi, Itaporã, Ivinhema, Japorã, Jardim, Jateí, Nioaque, Paranhos, Rio Brilhante, Selvíria, Sete Quedas, Taquarussu e Vicentina.

A bandeira amarela, que significa grau tolerável, teve queda de 3 para 2 no comparativo com a semana anterior, são eles Jaraguari e Rochedo. Nenhuma cidade obteve a bandeira verde que sinaliza grau baixo de risco.

Fonte: Correio do Estado

Da redacao

Da redacao

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: