fbpx

Clima esquenta e vereadores discutem por requerimento

Uma discussão acirrada na noite de ontem (9), marcou a sessão ordinária da Câmara Municipal de Paranaíba. O fato ocorreu após o vereador e presidente da Casa de Leis, Maycol Henrique Queiroz Andrade (PDT), negar colocar em votação o requerimento que solicitava a votação em regime de urgência da criação da Secretaria Municipal de Cultura.
Maycol apontou alguns artigos da Lei Orgânica Municipal e do Regimento Interno da Câmara, sustentando que teria até 45 dias para essa votação e que esta não estaria atendendo interesse público. A atitude do vereador causou indignação no vereador Heliomar Cangussu da Silva (Baixinho – PR), já que a votação do requerimento contava com a anuência de sete dos nove vereadores da casa, o que para Baixinho seria uma arbitrariedade de Maycol.
“Vereadores, estamos aqui há mais de dois anos, quanto requerimentos foram feitos nessa Casa? Agora porque o senhor presidente tem interesses particulares, vai pescar e leva a isca, é porque quer o peixe. Quer usar os vereadores aqui para ser favorecido. Eu não admito e não concordo com a atitude do presidente. Nós sete vereadores não somos melhor que ele, porque somos todos iguais. Coloque o requerimento em votação e que se derrube”, bradou baixinho.
Depois do pronunciamento, pela ordem, do vereador Baixinho, Maycol ainda foi interpelado outras vezes sem o uso da tribuna e de microfones, pelo vereador do PR. Maycol, então, ameaçou encerrar a sessão, complementando: “Aqui não vai ter baderna”. Baixinho ainda retrucou antes de sentar. “Quem está fazendo baderna é vossa excelência. Sete vereadores aqui e não tem serventia para essa Casa de Leis, só a vossa presença”, concluiu.


 

Pablo Nogueira

Pablo Nogueira

Jornalista, fotógrafo, editor chefe do portal InterativoMS e apaixonado por inovação e política.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: