Disparada no preço dos combustíveis assustou e fez custo de vida ficar mais alto em MS

Disparada no preço dos combustíveis assustou e fez custo de vida ficar mais alto em MS

O ano de 2021 foi marcado pela disparada no preço dos combustíveis. A alta impacta na vida de todos os brasileiros, pois afeta de serviços de aplicativo de viagens a preço de alimentos. Nem as recorrentes ameaças de greve de caminhoneiros e até congelamento do valor de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) foram capazes de barrar o valor nas bombas.

Somente neste ano, a Petrobras reajustou 15 vezes o preço da gasolina, que acumula alta de 74%. O diesel teve alteração 12 vezes, com alta acumulada de 64,7%. Já o etanol, considerando todas as altas e reduções tem variação acumulada de 69,7%.

Em postos de combustíveis de pelo menos 10 cidades do Estado, a gasolina já é comercializada a mais de R$ 7 e chega a R$ 7,39 em alguns municípios como Rio Verde de Mato Grosso.

Para ficar mais fácil de visualizar, observe abaixo a variação do preço médio desses três combustíveis praticados nos postos de Campo Grande, conforme levantamentos oficiais divulgados pela ANP (Agência Nacional do Petróleo).

É até difícil de acreditar que o ano começou com a gasolina sendo vendida, em média, por R$ 4,70 o litro. O diesel a R$ 3,69 e o etanol a R$ 5,39. O preço da gasolina praticado nas bombas, conforme o levantamento da ANP, ficou 38,2% mais caro para o consumidor campo-grandense este ano. Para o diesel, a alta foi de 40,6% e de 59,9% para o etanol.

Impacto na vida

Engana-se quem acredita que a alta dos preços só impacta o seu bolso na hora de abastecer o carro. Isso porque estamos em uma economia em que tudo é baseado no custo dos combustíveis e isso afeta desde o preço dos alimentos até a energia elétrica nos lares dos brasileiros.

O delivery, que ganhou força com a pandemia, por exemplo, foi diretamente afetado. Até mesmo o valor das entregas de compras feitas pela internet ficou mais caro, já que a principal forma de transporte no Brasil é pela malha rodoviária.

Além disso, basicamente tudo que você compra no supermercado chegou ao estabelecimento por um caminhão movido a diesel. Isso significa que um dos motivos de ficar mais caro é porque o custo com transporte aumentou.

Para se ter uma ideia, a inflação oficial medida pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) havia somado 8,23% até outubro. Somando a alta do custo de vida do brasileiro pelo mesmo indicador nos anos de 2019 e 2020 o resultado é 8,81%.

Ameaças de parar o Brasil

Logo no começo do ano, os caminhoneiros já se demonstraram insatisfeitos com a alta no preço do diesel — que ainda iria subir mais 64,7% — e marcaram uma greve nacional para o dia 1º de fevereiro.

Apesar do movimento, o país teve poucos bloqueios ou manifestações. Em MS, o trânsito fluiu normalmente nas rodovias.

As ameaças de nova paralisação por conta da alta no preço do diesel voltaram e o ato de abrangência nacional já estava marcado para o dia 1º de novembro.Apesar de tentativa no STF, os caminhoneiros não chegaram a bloquear trechos de rodovias no país.

Fonte: MidiaMax

Da redacao

Da redacao

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: